sábado, 30 de abril de 2016

UMA ARTE

Não é tão difícil dominar a arte de perder;
tanta coisa parece preenchida pela intenção de ser perdida
que sua perda não é nenhum desastre.

Perca alguma coisa todo dia. Aceite a novela das chaves perdidas,
a hora desperdiçada, aprender a arte de perder não é nada.

Exercite-se perdendo mais, mais rápido:
lugares, e nomes e... para onde mesmo você ia viajar?
Nenhum desastre...

Perdi o relógio de minha mãe. E olha, minha última e
minha penúltima casas ficaram para trás.
Não é difícil dominar a arte de perder.

Perdi duas cidades, adoráveis. E, mais ainda, alguns domínios,
propriedades, dois rios, um continente.
Sinto sua falta, mas não foi um desastre.

- Até mesmo perder você (a voz gozada, o gesto que
eu amava) eu não posso mentir. É claro que não é tão difícil dominar
a arte de perder apesar de parecer (pode Escrever!) desastre.


Elizabeth Bishop
SOB CONTROLE

Em sua fase mais avançada, a dominação funciona como administração. E nas áreas superdesenvolvidas de consumo em massa, a vida administrada se torna a boa vida de todos, em defesa do que os opostos estão unidos. Esta é a forma pura de dominação.
(...)
H.Marcuse

NETHERLANDS DANCE THEATRE - Sarabande


OLHOS PENETRANTES

Na cidade síria de Aleppo devastada pela guerra, o médico Mohammad Wassim Maaz abraçou enquanto pôde a missão de salvar as crianças, mas a morte resolveu cruzar seu caminho.

Barba bem aparada, olhos penetrantes e dono de um grande senso de humor,  Maaz "era considerado o melhor pediatra e, certamente, um dos últimos a permanecer no inferno de Aleppo", afirmaram seus colegas à AFP.
Apenas seus olhos revelavam o imenso cansaço de alguém que, dia após dia, sem trégua, tentava salvar as crianças doentes e feridas pelos bombardeios do regime em áreas controladas pelos rebeldes em Aleppo, a segunda maior cidade da Síria.
Na quarta-feira, sua vida foi levada, bem como a de um dentista, de três enfermeiros e 22 outros civis em um ataque aéreo contra o hospital al-Quds nesta cidade dividida desde julho 2012 entre rebeldes e o governo.
Maaz tornou-se uma nova vítima desta guerra que matou mais de 270 mil pessoas desde 2011. Cerca de 13.500 crianças foram mortas nos combates, de acordo com um balanço apresentado em fevereiro pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Amigo destacou que ele era 'o pediatra mais qualificado da cidade'

Em Aleppo, Dr. Maaz salvou dezenas de tal destino. Para o seu colega o dr. Hatem, diretor de um hospital infantil em Aleppo, ele era "o pediatra mais qualificado da cidade e o mais formidável do hospital".
"Ele era amigável e muitas vezes brincava com a equipe. Ele era humano e corajoso", escreveu em uma carta publicada na quinta-feira pela campanha "Syria campaign".
Originário de Aleppo, o dr. Maaz trabalhava de dia no hospital infantil e se ocupava das emergências durante a noite no hospital al-Quds. Sua família está na Turquia e ele deveria visitá-la antes da morte encontrá-lo.
Quando os bombardeios se intensificaram vários dias antes do ataque fatal, ele e o resto da equipe levaram as incubadoras para o piso térreo para tentar protegê-las.
Para Mirella Hodeib, porta-voz em Beirute da organização Médicos Sem Fronteiras (MSF), que apoiava financeiramente o hospital al-Quds, dr. Maaz "era um pediatra muito dedicado e escolheu arriscar sua vida para ajudar o povo de Aleppo", uma cidade devastada pela destruição, bombas e cortes de água e energia.
"Al-Quds era o principal hospital pediátrico e ele era um pediatra importante. Ele trabalhava neste estabelecimento há anos. Sua morte é uma perda terrível", disse à AFP.
Contatada por telefone em Kilis (Turquia), Miskilda Zancada, chefe de missão da MSF na Síria, descreveu sua morte como "uma tragédia".
"Restam apenas 70 ou 80 médicos para 250 mil habitantes na parte não-governamental (de Aleppo), porque 95% deles deixaram a cidade ou foram mortos", diz ela.
Em uma carta publicada pela organização Crisis Action, médicos de Aleppo lançaram um grito de desespero.
"Em breve, não haverá mais profissionais da saúde em Aleppo. A quem os civis vão recorrer quando precisarem?", questionaram. Segundo eles, ao menos 730 médicos foram mortos na Síria em cinco anos.
"Nossos hospitais estão perto do colapso" em razão da intensificação dos ataques que têm feito "quase quatro mortos e mais de cinquenta feridos todas as horas", acrescentaram os médicos.
"As mulheres, crianças e idosos de Aleppo pagam o preço do fracasso dos Estados Unidos e da Rússia" de fazer manter a trégua, consideraram.
Unicef e a Organização Mundial da Saúde se disseram "revoltados pela frequência dos ataques contra pessoas da área da saúde e estruturas de saúde na Síria".
A vida cotidiana se torna cada vez mais difícil para o povo de Aleppo. Mas "aqueles que permaneceram são os mais vulneráveis, porque não têm os meios financeiros para sair", ressaltou Zancada.
O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, descreveu como "imperdoável" o ataque contra o hospital al-Quds, pedindo "justiça para estes crimes".
Os bombardeios a hospitais são estritamente proibidos pelo Direito Internacional Humanitário.

Da France Press, 29/04/2016, 29/04/2016, 15:00 hs

PENITÊNCIA


sexta-feira, 29 de abril de 2016

DESTRUIÇÃO

Os amantes se amam cruelmente
e com se amarem tanto não se vêem.
Um se beija no outro, refletido.
Dois amantes que são? Dois inimigos.

Amantes são meninos estragados
pelo mimo de amar: e não percebem
quanto se pulverizam no enlaçar-se,
e como o que era mundo volve a nada.
Nada, ninguém. Amor, puro fantasma
que os passeia de leve, assim a cobra
se imprime na lembrança de seu trilho.
E eles quedam mordidos para sempre.
Deixaram de existir mas o existido
continua a doer eternamente.


Carlos Drummond de Andrade
Não é que eu tenha medo de morrer. É que eu não quero estar lá na hora que isso acontecer.

Woody Allen

GRANDES ESCRITOS


DA ARTE

Falamos da arte como composição de linhas subjetivas que buscam expressar e criar um mundo. É possível captar essas forças no Encontro com o paciente.A arte surge como resistência às situações existenciais adversas. Nesse sentido ela está fora da  psiquiatria bio-cidológica, não havendo encontro possível. A linguagem da arte é inseparável da sensação, pura sensação que constitui a subjetividade como semiótica a-significante. Ou seja, não sendo submetida à consciência (“eu, enquanto pessoa”), a produção da arte é uma produção de singularidades que retira matéria viva do caos. Na psiquiatria oficial, no lugar da produção, o produto é capturado (e imobilizado) por exames de imagem. Sob controle.
Não trabalhamos assim, não funcionamos assim.

A.M. 
Até os canalhas envelhecem.

Nelson Rodrigues

IVAN AIVAZOWSKI


VISÕES DO ABISMO

O Brasil encerrou o primeiro trimestre com taxa de desemprego de 10,9%, o que corresponde a 11,1 milhões de pessoas sem trabalho, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No último trimestre de 2015, a taxa havia sido de 9%.
Com a elevação, a taxa de desemprego renovou mais uma vez a máxima da série histórica, iniciada em 2012 - no trimestre encerrado em fevereiro, o desemprego chegou a 10,2%.
No total, são 2 milhões de desempregados a mais do que o número registrado entre outubro e dezembro de 2015. A população ocupada soma 90,6 milhões de pessoas. Desse contingente, 34,6 milhões de pessoas têm carteira assinada, número 2,2% menor que o do último período de 2015 e 4%b menor que o do mesmo período do ano passado.
A média salarial foi de 1.966 reais, segundo a Pnad Contínua. O montante quase não teve variação em relação ao último trimestre do ano passado, quando foi de R$ 1.961 reais, mas caiu 3,2% se comparada com os 2.031 reais do primeiro trimestre de 2015.
Na comparação com o último trimestre de 2015, o setor em que mais houve retração foi a indústria geral, com queda de 5,2%, ou o equivalente a 645.000 pessoas. Na sequência aparecem construção, que teve retração de 4,8% (380.000 pessoas), administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais, que, somados, recuaram 1,9% (299.000 pessoas), e comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas, com retração de 1,6% no comércio (280.000 pessoas).
Em relação ao primeiro trimestre do ano passado, houve aumento de 4,3% em transporte, armazenagem e correio, (184.000 pessoas); serviços domésticos (4,3%, ou 258.000 pessoas), alojamento e alimentação (4%, ou 173.000 pessoas) e administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (2,4%, ou 358.000 pessoas). As quedas nessa base de comparação ocorreram na indústria geral e da informação (11,5%, ou 1,5 milhão de pessoas) e comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (6,3%, ou 656.000 pessoas).

Da Veja.com.,29/04/2016, 09:54 hs
VOCÊ PAGA

O cargo de Dilma Rousseff não é o único que estará em jogo na sessão do Senado marcada para 11 de maio. Confirmada a tendência de afastamento da presidente da República, os senadores transferirão do PT para o PMDB a administração de uma fila de empregos que inclui 107 mil cargos comissionados —como são chamadas as poltronas cujos ocupantes recebem uma gratificação mensal além do salário.

Os assentos mais cobiçados são chamados de DAS, sigla de “Direção e Assessoramento Superior”. Somam 22,3 mil cadeiras, das quais 6,5 mil são ocupadas por pessoas estranhas ao serviço público, que entram pela janela. Excluindo-se os salários, essas gratificações custam ao contribuinte R$ 886 milhões por ano. E há outras 84,7 mil funções gratificadas. Escondem-se sob um cipoal de cerca de 50 siglas e denominações que dificultam a aferição dos custos.

Os dados foram colecionados pela assessoria técnica do DEM numa pesquisa realizada no Portal da Transparência do governo. O levantamento inclui apenas os órgãos da administração direta, sem estatais. Ainda assim, é muito cargo. Nenhum governo é capaz de preencher todas as vagas apenas com servidores amigos. Mas o poder longevo —13 anos e 4 meses no Planalto— fez do PT o partido que mais exerceu controle sobre essa engrenagem.
(...)
Do Blog do Josias de Souza, 29/04/2016, 04:27 hs

AMY WINEHOUSE - You Know I´m No Good


quinta-feira, 28 de abril de 2016

POMO ( DE MÍMICA LÍRICA )

Da vida só têm substância 
a casca e o caroço. 
No meio só tem amido, 
embromações do carbono. 
Porém todo o gosto reside 
nessa carne intermediária, 
sem valor alimentício, 
sem realidade, sem nada. 


É nela que os dentes encontram 
o que os mantém afiados; 
com ela é que a língua elabora 
a doce palavra.


Paulo Henriques Britto