quinta-feira, 24 de abril de 2014

Demasiada Loucura é o mais divino Juízo - 
Para um Olhar criterioso - 
Demasiado Juízo - a mais severa Loucura - 
É a Maioria que 
Nisto, como em Tudo, prevalece - 
Consente - e és são - 
Objecta - és perigoso de imediato - 
E acorrentado -

Emily Dickinson

NINA SIMONE - Ne Me Quitte Pas


quarta-feira, 23 de abril de 2014

Com crachá de programa da prefeitura, traficante atua na cracolândia em SP

Há pouco mais de três meses, mais de 300 usuários de crack aderiram ao programa "Braços Abertos, da Prefeitura de São Paulo. Com um crachá de identificação, os usuários ganharam emprego como garis, tratamento de saúde e acesso a quartos em um hotel pago pela prefeitura. Mas flagrantes feitos com exclusividade pelo SBT Brasil mostram que traficantes se infiltraram no programa e, com crachás no peito, também ganharam livre acesso à cracolândia e aos hoteis onde os dependentes químicos ficam hospedados.
(...)
SBT Brasil 

terça-feira, 22 de abril de 2014

ARAQUÉM ALCÂNTARA


Rio: Sob vigilância da PM, grupo de invasores permanece na Catedral

No dia seguinte ao tumulto envolvendo invasores do terreno da Oi e um policial militar, que acompanhava à distância a movimentação do grupo na entrada da Catedral Metropolitana do Rio, não foi registrado nenhum novo conflito.
Pelo menos 80 sem-teto ainda permaneciam nesta segunda-feira acampados no local, sob a vigilância de PMs e guardas municipais. A presença dos invasores em barracas e as faixas fixadas por eles com frases como “Desabrigados da Oi resistem” e “Não temos casa para morar” chamavam a atenção de quem aproveitou o feriado de Tiradentes para conhecer a Catedral, no Centro do Rio.
(...)
Sérgio Ramalho, O Globo

segunda-feira, 21 de abril de 2014

OS BESTIALIZADOS

Trecho de resenha do livro "Os Bestializados", de José Murilo de Carvalho

José Murilo de Carvalho em seu livro “Os Bestializados: O Rio de Janeiro e a República que não foi” como o próprio título já diz, traz à tona a discussão acerca do período republicano na cidade carioca, capital do Brasil na época, apontando que “havia algo mais na política do que simplesmente um povo bestializado”. Que povo era este, qual seu imaginário político e sua prática política, serão os estudos deste livro.
Na introdução do livro, José Murilo disserta sobre o problema do relacionamento entre o povo (cidadão) e o Estado, o cidadão e o sistema político, o cidadão e a própria atividade política. Essa dificuldade de relacionamento pode ser explicada, por exemplo, pela tendência maniqueísta do Estado como vilão, responsável pela inexistência da cidadania. No entanto, José Murilo considera que o cidadão e o Estado são uma via de mão dupla - pois um sistema de governo precisa da legitimação do povo, mesmo se essa legitimação for apática - embora não necessariamente equilibrada.
José Murilo escreve sobre o fato do povo não ter tido participação na Proclamação da República. Essa afirmação do autor mostra que a transição do período monárquico para a República, que teoricamente deveria trazer o povo para a atividade política, fica, de fato, apenas na teoria. Além disso, ainda na introdução, o autor dá um panorama geral sobre o que será abordado nos capítulos seguintes do livro.
(...)
Taciana Barreto

ANTONIO CARLOS JOBIM - Corcovado


Responda rápido: No Brasil, quem é pior? O Governo ou a Oposição?

A.M.
O QUE É DESEJAR?

(...) É Édipo, terra pantanosa que exala um profundo cheiro de podridão e de morte, e é a castração, a piedosa ferida ascética, o significante, que faz desta morte um conservatório para  a vida edipiana. Em si mesmo, o desejo não é desejo de amar, mas força de amar, virtude que dá e que produz, que maquina (pois, como poderia deseja a vida o que está na vida? quem quereria chamar desejo a isso?)
(...)
G. Deleuze  e F. Guattari in O anti-édipo

Paramilitares americanos treinam policiais brasileiros para a Copa

(Esse treinamento é apenas um entre diversos programas de cooperação militar)

A empresa americana Academi, que antes se chamava Blackwater, está treinando policiais militares e agentes da Polícia Federal para ações antiterrorismo na Copa.
A Blackwater ficou conhecida por agir como um exército terceirizado dos Estados Unidos, com mercenários atuando nas guerras do Iraque e do Afeganistão.
A empresa está envolvida em polêmicas. Ex-funcionários da Blackwater são acusados de terem matado 17 civis iraquianos no massacre da praça Nisour, em 2007.
(...)
Patrícia Campos Mello/Folhapress
Pensei em tudo o que poderia dizer e o repeti mil vezes a mim mesmo quando estava deitado na escuridão. Que lutas íntimas travei! Se soubesses como estava farto daquela vã tagarelice! Eu queria esquecer tudo e recomeçar a vida ponto termo, especialmente, aqueles solilóquios.

Fiodor Dostoievski
PARA ALÉM DO EU

O ser humano vivência a si mesmo, seus pensamentos como algo separado do resto do universo - numa espécie de ilusão de ótica de sua consciência. E essa ilusão é uma espécie de prisão que nos restringe a nossos desejos pessoais, conceitos e ao afeto por pessoas mais próximas. Nossa principal tarefa é a de nos livrarmos dessa prisão, ampliando o nosso círculo de compaixão, para que ele abranja todos os seres vivos e toda a natureza em sua beleza. Ninguém conseguirá alcançar completamente esse objetivo, mas lutar pela sua realização já é por si só parte de nossa liberação e o alicerce de nossa segurança interior.

Albert Einstein

DAMIAN KLACZKIEWCZ


HARD

Andava, andava e me sentia cada vez pior. Talvez porque eu ainda estivesse lá, 
ao invés de voltar pra casa. Eu estava prolongando a agonia. Que espécie
de merda era eu? Um sujeito capaz de armar jogadas bem malévolas e 
alucinadas. E qual a razão? Até quando eu ia ficar dizendo que era 
apenas uma pesquisa, um simples estudo sobre as mulheres? Eu estava era 
deixando as coisas acontecerem sem me preocupar muito com elas. Eu não 
tinha nenhuma consideração por nada além do meu prazerzinho barato e 
egoísta. Eu parecia um ginasiano mimado. Eu era pior que qualquer puta; 
uma puta só toma o seu dinheiro, nada mais. Eu bagunçava vidas e almas 
como se fossem brinquedos. Como é que eu ainda escrevia poemas? Eu era 
feito de quê, afinal? Eu era um marquês de Sade pangaré, sem o gênio 
dele. Qualquer assassino era mais sincero e honesto que eu. Ou um 
estuprador. Não queria botar minha alma em jogo, não queria vê-la 
exposta a deboches, sacanagens. Sabia muito bem disso tudo. Eu não 
prestava, essa era a verdade. Podia sentir isso, andando de lá pra cá no
tapete. Não prestava. E o pior é que eu passava pelo contrário do que 
era: um bom sujeito. Eu entrava na vida dos outros porque eles confiavam
em min. Eu aprontava as minhas cagadas com a maior facilidade. Eu 
estava escrevendo a história de amor de uma hiena.

Charles Bukowski

QUEM FOI TIRADENTES?


Os pais fazem dos filhos, involuntariamente, algo emelhante a eles, a isso denominam 'educação', nenhuma mãe duvida, no fundo do coração, que ao ter seu filho, pariu uma propriedade; nenhum pai discute o direito de submeter o filho aos seus conceitos e valorações.

Friedrich Nietzsche

ANA CAÑAS - Traidor


Tu queres sono: despe-te dos ruídos, e
dos restos do dia, tira da tua boca
o punhal e o trânsito, sombras de
teus gritos, e roupas, choros, cordas e
também as faces que assomam sobre a
tua sonora forma de dar, e os outros corpos
que se deitam e se pisam, e as moscas
que sobrevoam o cadáver do teu pai, e a dor (não ouças)
que se prepara para carpir tua vigília, e os cantos que
esqueceram teus braços e tantos movimentos
que perdem teus silêncios, e os ventos altos
que não dormem, que te olham da janela
e em tua porta penetram como loucos
pois nada te abandona nem tu ao sono.

Ana Cristina Cesar
NEURO-ILUSÃO

(...)  A lógica  mecanicista (e positivista)  concebe o cérebro como objeto visível, sólido, imóvel   e “neutro”, passível  de estudos em suas conexões  internas e externas, anatômicas, fisiológicas, bioquímicas, neuroquímicas, hormonais e enzimáticas. Esta é a base epistemológica que considera a origem dos “problemas mentais” como estando no cérebro. Trata-se de um pensamento reacionário em suas origens. A concepção atual de humor é tributária desse raciocínio, a um tempo simplório e devastador  para a subjetividade, enquanto processo. Mas, quem contesta o que todos acreditam? Um louco, talvez...
(...)
A.M in Trair a psiquiatria

domingo, 20 de abril de 2014

não apresse o rio

Escreve com sangue e aprenderás que sangue é espírito.

Nietzsche
...ponha a saia mais leve, aquela de chita, e passeie de mãos dadas com o ar. Enfeite-se com margaridas e ternura e escove a alma com leves fricções de esperança. De alma escovada e coração estouvado, saia do quintal de si mesmo e descubra o próprio jardim. Acorde com gosto de caqui e sorria lírios para quem passe debaixo de sua janela.
Ponha intenções de quermesse em seus olhos e beba licor de névoa de borboletas, cada qual trazendo uma pérola falante a dizer frases sutis e palavras de galanteria.

Carlos Drummond de Andrade

RICHARD JOHNSON


O que me impressionava como a prova mais maravilhosa da minha aptidão, ou inaptidão, para a época é o fato de nada do que as pessoas diziam ou escreviam ter tido qualquer verdadeiro interesse para mim. Só o objeto me perseguia, a coisa separada, destacada, insignificante. Podia ser uma parte do corpo humano ou uma escada numa casa de vaudeville, podia ser uma chaminé ou um botão achado na sarjeta. Fosse o que fosse, permitia-me desabafar, render-me, apor a minha assinatura. E não podia apor a minha assinatura à vida que me cercava, às pessoas que compunham o mundo que conhecia. Estava definitivamente fora do seu mundo, como um canibal está fora das fronteiras da sociedade civilizada. Estava cheio de um amor perverso pela coisa em si - não um apego filosófico, mas sim de uma fome apaixonada, desesperadamente apaixonada, como se na coisa abandonada, sem valor, ignorada por todos, estivesse contido o segredo da minha própria regeneração.

Henry Miller

sábado, 19 de abril de 2014

AVESTRUZ SUICIDA

Vem desde os gregos a ideia de que o homem é um animal político. Os outros animais se movem por instinto, os homens pela conversa. Cada vez que três pessoas tentam decidir algo fazem política. Mas, olhando para os brasileiros de hoje, pode-se dizer que o político é um animal parecido ao avestruz. A exemplo desta ave há uma preferência por esconder a cabeça para não ver os problemas ao redor.

Nesse momento, o animal político brasileiro debate sobre fazer ou não uma CPI para apurar os desmandos na Petrobras. Os que não querem a CPI escondem as cabeças para não descobrir o que está acontecendo; os que desejam descobrir o que está ocorrendo na Petrobrás, não percebem o problema maior da crise energética que enfrentamos.

Diante da grave crise energética que se abaterá sobre o mundo inteiro, nas próximas décadas, os políticos se comportam como avestruz. Não despertam para os limites da disponibilidade de petróleo que se esgotará, esgotando também a Petrobras, qualquer que seja a competência e honestidade de sua direção depois de uma CPI séria. Nem despertam para o enorme potencial que temos para gerar energia a partir de novas fontes, tal como a energia solar, e ainda a relegada e criativa experiência do etanol.

O animal político brasileiro se comporta como um avestruz para não ver a gravidade da violência espalhada, profunda e destruidora sobre todo o tecido social brasileiro. Não percebe que vivemos um tempo de guerra, com mais de 50 mil mortos por ano, vítimas de assassinatos. Com a cabeça escondida, deixamos de ver a violência e o medo generalizado nas ruas de nossas cidades.

Escondemos a cabeça para não identificar e entender as causas da guerrilha de grupos organizados por meio de celulares e de computadores para queimar ônibus, impedir o trânsito, paralisar serviços. E tal como avestruz, decidimos enfrentar parte dessa guerra espalhada envolvendo localmente as Forças Armadas; não ver os riscos de soldados serem mortos por traficantes dentro do território nacional ou de soldados matarem acidentalmente crianças no meio de tiroteio. O que em guerra se chama de efeito colateral, dentro do território nacional será chamado de assassinato.

Não vemos os riscos de nossas cidades degradadas, da economia baseada em produtos primários, enquanto os outros países investem em produtos de alta tecnologia.

O avestruz prefere não ver o triste futuro de um país que não cuida de suas crianças, abandonando-as e jogando-as em escolas sem aulas, sem equipamentos, sem professores e sem avaliação, onde não conseguem concluir o ensino fundamental. Só um avestruz não vê o triste futuro do Brasil retratado na cara de suas escolas de hoje.

Também é comportamento de avestruz não perceber a falta de credibilidade nos políticos, vistos como um tipo especial de avestruz que, além de esconder a cabeça, enfia as mãos no chão para trocar favores com recursos públicos.

Continuar agindo dessa forma é o comportamento de um avestruz suicida.

Cristovam Buarque


inocência das flores

FACE DA LOUCURA

(...) porque haveria de me pintar como sombra e imagem numa definição quando estou diante de vossos olhos e me vedes em pessoa?
Sou eu mesma, como me vedes. E que necessidade haveria de vô-lo dizer?
O meu rosto já não diz o bastante? 
Se há alguém que desastradamente se tenha iludido, tomando por Minerva ou pela Sabedoria, bastará olhar-me de frente para logo conhecer-me, sem que eu me sirva de palavras, que são a imagem do pensamento.
Não existe em mim simulação alguma, mostrando por fora o que sou no coração. Sou sempre igual a mim mesma
(...)
Erasmo de Rotterdam in Elogio da Loucura
Já perscrutamos bastante as profundezas dessa consciência e é chegado o momento de continuarmos a examiná-la. Não o fazemos sem emoção ou estremecimento. Nada existe mais terrível que esse tipo de contemplação. Os olhos do espírito não podem encontrar em nenhum lugar nada mais ofuscante, nada mais tenebroso que o homem; não poderão fixar-se em nada mais temível, mais complicado, mais misterioso e mais infinito. Existe uma coisa maior que o mar: o céu. Existe um espetáculo maior que o céu: é o interior de uma alma.

Victor Hugo
Faces,  de J. Cassavetes, 1968

POEMA

Encontraremos o amor depois que um de  nós abandonar   
                                                               os brinquedos.  
Encontraremos o amor depois que nos  tivermos despedido  
E caminharmos separados pelos caminhos. 
Então ele passará por nós,  
E terá a figura de um velho trôpego,  
Ou mesmo de um cão abandonadoo, 

O amor é uma iluminação, e está em nós, contido em nós,  
E são sinais indiferentes e próximos que os acordam do  
                                                    seu sono subitamente.  

Augusto Frederico Schmit

EGBERTO GISMONTI - Água e Vinho


A DOENÇA-HOMEM

Entre as forças mortíferas que massacraram e massacram o desejo na história da humanidade, há muitas, tantas, tantas mesmo que não caberiam neste pequeno escrito.Mas, como não citar, pelo menos, a Religião, o Estado, a Escola e a Família? A sensualidade, a alegria de viver os Encontros, a arte de criar, criar a si mesmo, criar uma Ciência, uma ciência menor, atenta aos devires, a generosidade para além das fronteiras mesquinhas do Estado-nação, o acontecimento-amar, o sentimento de cidadania terráquea, o salto sobre o abismo do Nada, a  aliança com a Natureza (que somos nós), a prevalência da ética sobre a política, a política como substituição dos rebanhos humanos e dos zumbis vagando pelas superfícies do mundo, por subjetividades múltiplas, enfim, tudo isso e muito mais é capturado por forças que estão por toda a parte, nem sempre visíveis, mas sempre atuantes e devastadoras. Elas constituem o Inconsciente representativo, edipiano e molar que trabalha no interior de todos nós. Nem falaremos das matanças explícitas de milhões. O fato inequívoco é o de que basta alguém querer, basta alguém ir indo, basta alguém querer experimentar por sua conta o Milagre da vida, para que o Muro se mostre como fronteira não ultrapassável da racionalidade mais torpe, arrogante e sedutora. No nosso caso verde-amarelo, o Brasil avança... para onde? Para onde, José?

A.M.

RENATA DOMAGALSKA


RESCALDO DA GREVE 

O líder da greve da PM baiana, vereador Marco Prisco (PSDB), foi preso na tarde desta sexta-feira a pedido do Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA). Diretor-geral da Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares no Estado da Bahia (Aspra), Prisco teve prisão preventiva decretada pela Justiça Federal em 15 de abril, mas apenas hoje ele foi detido pela Polícia Federal, em um resort da Costa do Sauípe. Ele foi levado para o presídio da Papuda, em Brasília.
Em nota enviada à tropa pelas redes sociais nesta sexta-feira, o deputado estadual Capitão Tadeu Fernandes (PSB) orientou que todos suspendessem as atividades imediatamente, até que o governo providenciasse a soltura de Prisco.
Ele também pediu que os policiais se aquartelassem, o que ocorreu na noite desta sexta-feira. Representantes das seis associações que negociaram com o governo estão reunidos para decidir se convocam oficialmente a retomada da greve, mas isso só pode ser feito a partir de sábado, com uma assembleia de policiais.
(...)
Biaggio Talento, O Globo

SEXTA FEIRA DA PAIXÃO


sexta-feira, 18 de abril de 2014

Petrobras é ‘condomínio de ladrões’, diz empresário do setor petroquímico

Caio Gorentzvaig afirma ter documentos e que em breve fará mais acusações

O empresário Caio Gorentzvaig, ex-acionista da Petroquímica Triunfo, no Rio Grande do Sul, postou vídeo na internet na 2ª feira (14.abr.2014) no qual faz duras acusações de corrupção na Petrobras e ataca a presidente da República Dilma Rousseff, o ex-presidente da Petrobras Sérgio Gabrielli e o ex-diretor de Abastecimento da estatal, Paulo Roberto da Costa, que está preso.

Gorentzvaig, cujo pai, Boris, foi o fundador da petroquímica, afirma que a Petrobras “virou um condomínio político de ladrões de primeira linha”. Ele diz que a Triunfo foi “expropriada'' em maio de 2009 por decisão de Dilma, Gabrielli e Roberto da Costa, em uma operação que teria beneficiado a Odebrecht, por meio da sua empresa petroquímica, a Braskem, e cobra apuração do Ministério Público Federal.

Segundo Gorentzvaig, após um processo litigioso, o juiz da 3ª Vara Cível de Porto Alegre propôs que a Petrobras vendesse sua parte na Triunfo Petroquímica por R$ 250 milhões à sua família. A estatal teria cobrado um valor maior, de R$ 355 milhões, coberto pelos Gorentzvaig. Apesar disso, segundo o empresário, a Petrobras reucou e disse que, por razões estratégicas, não tinha mais interesse em vender sua parte na Triunfo. Depois, diz Gorentzvaig, a Petrobrás vendeu sua participação na Triunfo para a Braskem, da Odebrecht, por R$ 118 milhões. Como eram minoritários, os Gorentzvaig teriam sido obrigados a sair da empresa.

Ao final do vídeo, Gorentzvaig, que foi candidato a deputado federal em 2010 pelo PPS-SP, pede que o Ministério Público investigue a suposta “relação promíscua” do Grupo Odebrecht com a Petrobrás, inclusive o polo petroquímico de Paulínia. Ele diz ter “vários documentos” e que fará novas acusações. “Vocês vão se surpreender. (…) É maior do que Pasadena”.

do blog de Fernando Rodrigues - 18.04.2014, 17,20.

EUGÊNIA MELO e CHICO BUARQUE - Bom Conselho


TIRA-TEIMA


Tire a faca do peito
e o medo dos olhos
Ponha uns óculos escuros
e saia por aí. Dando bandeira

Tire o nó da garganta
que a palavra corre fácil
sem desculpas nem contornos
Direta: do diafragma ao céu da boca

Tire o trinco da porta
liberte a corrente de ar
Deixe os bons ventos levantarem a poeira
levando o cisco ao olho grande

Tire a sorte na esquina
na primeira cigana ou no velho realejo
Leia o horóscopo e olhe o céu
lembre-se das estrelas e da estrada
Tire o corpo da reta
e o cu da seringa
que malandro é você, rapaz
o lado bom da faca é o cabo

Tire a mulher mais bonita
pra dançar e dance
Dance olhando dentro dos olhos
até que ela morra de vergonha

Tire o revólver e atire
a primeira pedra
a última palavra
a praga e a sorte
a peste, ou o vírus?

Bernardo Vilhena

QUILLS

 Contos proibidos do Marquês, direção de Philip Kaufman. 2000

O artista tem que ser gênio para alguns e imbecil para outros. Se puder ser imbecil para todos, melhor ainda..

Nelson Rodrigues

Uma visita ao hospício mostra que a fé não prova nada.

Friedrich Nietzsche
Assim como as crianças, que no escuro tremem de medo e temem tudo, / nós, na claridade, às vezes temos receio de certas coisas / que não são mais terríveis do que aquelas que as crianças temem / no escuro e pensam que acontecerão a elas.

Lucrécio

quinta-feira, 17 de abril de 2014

IRVING PENN


SUBJETIVIDADE ÉTICO-ESTÉTICA

(...)  Podemos abarcar todo o sistema  nosológico psiquiátrico para demonstrar que o paciente está de antemão submetido à forma psiquiátrica, produzindo-o antes de tudo como massa passiva à espera  de  ordens. Tal situação é a de um anti-devir. Por isso,a "ciência psiquiátrica" na verdade é um sistema classificatório de condutas e pode  ser  visto como uma proteção erguida contra o caos. Neste sentido, o trabalho da reforma psiquiátrica, incluindo-se o libelo anti-manicomial, só poderá  efetivar-se como Mudança na medida em que for diretamente subjetivo; trabalho de produção  da Clínica, mais precisamente de Clínicas não alternativas e sim diferentes que usem da psiquiatria materiais esparsos, pedaços de uma clínica-outra. Tudo isso e mais as ações institucionais das políticas públicas compõem máquinas de fabricar o Sentido.
(...)
A.M.
A Terra, a  Molécula gigante

FALA, GABRIEL...

A idade não é a realidade salva no mundo físico.
A essência de um ser humano resiste ao passar do tempo.
As nossas vidas são eternas, o que significa que os nossos espíritos continuam a ser tão jovens e vigorosos como quando éramos jovens. Pensa no amor como um estado de graça...não é um meio para nada, mas sim o alfa e o ómega.
Um fim em si mesmo.

Gabriel García Marquez
Gabriel García Márquez morre aos 87 anos

O escritor colombiano Gabriel García Márquez morreu nesta quinta-feira, aos 87 anos, na Cidade do México. Ainda não há informações sobre a causa da morte, mas o autor de "Cem anos de solidão", que há anos enfrentava um câncer, chegou a ser internado neste mês por conta de uma infecção.



A verdade e a mentira são construções que decorrem da vida no rebanho e da linguagem que lhe corresponde. O homem do rebanho chama de verdade aquilo que o conserva no rebanho e chama de mentira aquilo que o ameaça ou exclui do rebanho. (...)Portanto, em primeiro lugar, a verdade é a verdade do rebanho.

Friedrich Nietzsche
ECOS D'ALMA

Oh! madrugada de ilusões, santíssima,
Sombra perdida lá do meu Passado,
Vinde entornar a clâmide puríssima
Da luz que fulge no ideal sagrado!

Longe das tristes noites tumulares
Quem me dera viver entre quimeras,
Por entre o resplendor das Primaveras
Oh! madrugada azul dos meus sonhares.

Mas quando vibrar a última balada
Da tarde e se calar a passarada
Na bruma sepulcral que o céu embaça

Quem me dera morrer então risonho
Fitando a nebulosa do meu sonho
E a Via-Látea da Ilusão que passa!

Augusto dos Anjos

CÉU e HERBIE HANCOCK - Tempo de Amor


HOMENS DE POUCA FÉ

Itabuna – A FICC (Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania), informa à população, que em virtude da greve da Polícia Militar e a mudança de horário de encerramento de circulação dos ônibus coletivos, o espetáculo “A Paixão de Cristo”, que seria apresentado nesta sexta-feira (18/04), foi adiado; a data ainda será divulgada. A FICC pede desculpas à todos e deseja uma páscoa de paz.
(...)
do site Itabunaurgente.com
As boas intenções têm sido a ruína do mundo. As únicas pessoas que realizaram qualquer coisa foram as que não tiveram intenção alguma.

Oscar Wilde

CÃO QUE LADRA NÃO MORDE


NA SÍRIA

Oposição acusa governo sírio de novos ataques com armas químicas

Ativistas de oposição acusaram forças aliadas ao presidente sírio Bashar al-Assad de realizar um novo ataque com gás venenoso em Harasta, subúrbio de Damasco, nesta quarta-feira. Um vídeo, disponibilizado no YouTube, mostra quatro homens recebendo oxigênio, e um deles tem o rosto coberto por vômito e sofre espasmos durante o atendimento.
O governo sírio e a oposição têm trocado acusações de uso de gás venenoso nos confrontos, e o ataque desta quarta-feira é o quarto denunciado pela oposição neste mês. A narração do vídeo afirma que armas químicas já haviam sido usadas em Harasta na última sexta-feira. 
(...)
Globo
naufrágio na Coréia do Sul

quarta-feira, 16 de abril de 2014

O velho marciano morto, nunca pensara nisso, ele não parecia que um dia iria morrer. Isso alterava fundamentalmente a sua vida? Ou não lhe traria sequer a mais ligeira modificação no modo de ser e encarar as coisas - sempre fora, era assim, sempre seria, ele vivendo, a morte do pai já em sua vida incorporada. Mais uma época ali se encerrava? Acaso não vivia sempre encerrando épocas e inaugurando outras? De onde vinha? para onde ia? Que sentido tinham as coisas? Nenhum, nenhum , se dizia, sentindo finalmente seus olhos se encheram de lágrimas.

Fernando Sabino
O homem que pretende ser sempre coerente no seu pensamento e nas suas decisões morais ou é uma múmia ambulante ou, se não conseguiu sufocar toda a sua vitalidade, um mono maníaco fanático.

Aldous Huxley

GIRODET TRIOSON



EM TEU CRESPO JARDIM,
ANÊMONAS CASTANHAS

Em teu crespo jardim, anêmonas castanhas
detêm a mão ansiosa: Devagar.
Cada pétala ou sépala seja lentamente
acariciada, céu; e a vista pouse,
beijo abstrato, antes do beijo ritual,
na flora pubescente, amor; e tudo é sagrado.

Carlos Drummond de Andrade
Ato contra a Copa do Mundo em São Paulo termina em confronto

Cerca de mil pessoas voltaram às ruas de São Paulo na noite desta terça-feira para protestar contra a realização da Copa do Mundo. A manifestação que começou pacífica terminou com confronto entre mascarados e policiais. Segundo a Polícia Militar, 54 pessoas foram detidas na estação do metrô Butantã, na Zona Oeste da capital paulista. Ainda de acordo com a PM, eles foram levadas para o 14º Distrito Policial.
O clima de tensão começou só no final da caminhada, que seguiu da Avenida Paulista em direção ao Largo da Batata. Manifestantes jogaram duas bombas de fabricação caseira em direção à Polícia Militar, que não reagiu. Por volta das 21h30, quando o ato chegava ao fim, um grupo quebrou orelhões e atacou duas agências bancárias no entorno da estação Butantã. A Tropa de Choque da Polícia Militar cercou a área e os vândalos foram detidos dentro da estação.
(...)
Leonardo Guandeline, O Globo

terça-feira, 15 de abril de 2014

O QUE É TRAIR?

Chegar ao não-lugar do disfarce incessante. Ainda mais que a coisa toda vem do século XIX. É uma fraude cuidadosamente preparada em pequenos frascos-ampolas. Todos acreditam. Um dia, ele entra no consultório e senta-se na cadeira do paciente. Trata-se da desordem infiltrada no tecido da ordem mental asséptica. Mas não há "mental".O psiquiatra torna-se um paciente que resiste ao funcionamento vertical da Entrevista. Pergunta se há consciência. Não há. Descobre que o cérebro é uma instituição instituída por neurônios aflitos. Ensaia solilóquios bizarros. A essa altura, rompem-se identidades. Escutar um delírio passa a ser olhar as vozes, percutir o infinito e ouvir o tempo que não passa... e já passou. Trair é inventar.

A.M.

NANA VASCONCELOS en Montreux


— É pecado sonhar?
— Não, Capitu. Nunca foi.
— Então por que essa divindade nos dá golpes tão fortes de realidade e parte nossos sonhos?
— Divindade não destrói sonhos, Capitu. Somos nós que ficamos esperando, ao invés de fazer acontecer.

Machado de Assis
As pessoas que falam muito, mentem sempre, porque acabam esgotando seu estoque de verdades.

Millôr Fernandes

O CONSUMO



segunda-feira, 14 de abril de 2014

Quão louco e estranho e divertido parecia tal plano, na hora que eu pensava nele! - seguir os passos da sombra, ver onde é que ela vivia, se é que vivia mesmo, e conversar com ela como se fosse uma pessoal igual ao resto de nós.

Virginia Woolf

O CÉREBRO NÃO É A MENTE