quarta-feira, 19 de julho de 2017

ANTI-PARANÓIDE

Para haver encontros que criem e não reproduzam universos estáveis,  é preciso intercessores. Eles podem ser qualquer coisa e são o que nos força a pensar. No caso da clínica, como vimos,o que força a pensar é o delírio não medicalizado que tem na esquizofrenia a sua expressão acabada. Para um bom encontro com o paciente, a loucura-em-nós é um exercício de sensibilidade: uma  ética. Busca aumentar a potência de viver. Por outro lado ela não existe fora das linhas  de força que  compreendem  relações de poder. Tais relações compõem a trama das instituições que conduzem e/ou esmagam a produção desejante.Toda ética é uma política, ou mais precisamente, uma micropolítica imanente à clínica. Isso não costuma  se mostrar ao olhar psiquiatrizado  ou  psicologizado. O olho psi é um olho homogeneizado e homogeneizador. Ele “persegue” o semelhante e o humano em toda a parte. É um olho paranóide.

A.M.

Nenhum comentário:

Postar um comentário